R$ 213,7 bilhões - A Mediação e a Liberação de Recursos em Tempos de Crise Econômica


Por Daniel Eloi de Paula Rodrigues em 13/11/2019 | Comentários: 0

Segundo o Diário de Pernambuco, até o fim de 2017, cerca de R$ 213,7 bilhões esperavam decisões judiciais para serem liberados. Dinheiro que poderia estar em circulação na economia ou sendo investido em outras áreas.
 
A mesma publicação apontou que em 2016 havia 79,7 milhões de processos em andamento, segundo relatório do Conselho Nacional de Justiça - CNJ. Em agosto de 2018, o número aumentou para 80,1 milhões.
 
Além disso, apontou-se que na primeira instância, porta de entrada da ação na Justiça, a sentença demora cerca de 2 anos e seis meses para ser proferida. Na fase de execução, o tempo médio sobe para seis anos e quatro meses.
 
Neste cenário desolador, a Mediação de conflitos desponta como saída ágil e eficaz para a solução dos processos, o desafogamento do Poder Judiciário e a liberação dos recursos para as partes.
 
Mas, afinal, o que é Mediação de Conflitos? O próprio Conselho Nacional de Justiça traz uma definição sobre o tema.
 
A Mediação "é uma forma de solução de conflitos na qual uma terceira pessoa, neutra e imparcial, facilita o diálogo entre as partes para que elas construam, com autonomia e solidariedade, a melhor solução para o conflito". Em regra, a Mediação é utilizada em conflitos multidimensionais ou complexos. Principalmente, em áreas onde é importante pacificar a convivência entre as partes, devido ao risco de futuros conflitos (família, vizinhança, empresarial, etc.).
 
A Conciliação "é um método utilizado em conflitos mais simples, ou restritos, no qual o terceiro facilitador pode adotar uma posição mais ativa, porém neutra com relação ao conflito e imparcial". De todo modo, ambos são meios alternativos de resolução de conflitos, no qual o terceiro auxilia as partes na construção de um acordo e de uma solução para o conflito, sem a necessidade de atuação ou de decisão do juiz, garantindo: informalidade, simplicidade, economia processual, celeridade, oralidade e flexibilidade processual.
 
Imaginem os benefícios da redução destes prazos processuais e a imediata liberação desses montante de recursos?
 
Os mediadores e conciliadores atuam de acordo com os princípios fundamentais da confidencialidade, decisão informada, competência, imparcialidade, independência, autonomia, empoderamento, respeito à ordem pública e às leis vigentes.
 
Nas próximas publicações, falaremos de maneira mais profunda sobre os ramos aos quais a Mediação se aplica e as possibilidades de ganhos com a utilização deste método.
 
 
Referências:
 
 
 
 
 
 
Seguir este artigo

Sobre o autor

Daniel Eloi de Paula Rodrigues

Advogado atuante nas áreas cível, trabalhista e administrativa. Conciliador/Mediador certificado no Conselho Nacional de Justiça - CNJ e atuante nas áreas judicial e extrajudicial pelo Tribunal de Justiça de São Paulo - TJ/SP, com ênfase nos CEJUSC's do interior de São Paulo e cinco anos de experiência na área. Especialista em Interesses Difusos e Coletivos pela Toledo Centro Universitário.


Cursos relacionados

Workshop: Advocacia em Proteção de Dados

Workshop 100% gratuito sobre a oportunidade de atuação de advogados na área de proteção de dados

Inscrições gratuitas

Ao vivo: 10/12/2019 10:00

Turma: Dezembro/2019

Código: 507

Mais detalhes

LGPD do Zero: Aprenda como conquistar seus primeiros clientes

Método prático para conquistar seus primeiros clientes em proteção de dados pessoais.

Investimento:

R$ 1.297,00

Turma: Janeiro/2020

Código: 508

Mais detalhes

ADB PRO 2.0

Método prático para alcançar honorários extraordinários e estabilidade financeira na advocacia

Márcio Vieira - Advogado, professor, mestre em direito. Mais de 20 anos de experiência com direito bancário.

Rafael Corte Mello - Advogado, professor, mestre em direito. Mais de 20 de experiência na advocacia de litígio.

Investimento:

R$ 1.997,00

Turma: ADBPRO - Janeiro/2020

Código: 509

Mais detalhes

Mais artigos de Daniel Eloi de Paula Rodrigues

Comentários 0

Você precisa estar logado para comentar neste artigo.

Fazer login ou Cadastre-se