Porque confio no futuro pós pandemia - Reflexões


Por Marco Aurélio Bicalho de Abreu Chagas em 01/10/2020 | Sociologia | Comentários: 0

alt-text

O confinamento provocado pela pandemia que assolou o planeta, provocou a mudança de hábitos e a forma de ver e sentir a vida, agora, num prisma mais voltado para dentro de cada um. Estou aprendendo a ver o ser que está em mim e o isolamento me obrigou a volta a visão para a pessoa que está mais próxima de mim que sou eu mesmo.

A confiança no futuro está condicionada a muitos fatores dentre eles o conhecimento e o domínio dos pensamentos que gravitam em minha mente.

A partir do momento em que fui compreendendo a influência que têm esses agentes em minha vida e a dependência de minha vontade a eles, senti que esse conhecimento me permitiria mudá-los e fazer com que outros passassem a dominar a minha mente. Cultivar outra índole de pensamentos era o grande desiderato.

O verdadeiro conceito de pensamentos, como agentes que determinam o meu comportamento e a possibilidade que tenho de fazer com que eles passem a me servir, é uma grande prerrogativa que me faz vislumbrar a possibilidade de mudar a minha vida.

O futuro é construído no presente e o meu passado foi presente um dia e o que vivo hoje fez parte do meu futuro.

Ao adquirir as condições de ser dono de meus pensamentos e fazer com que eles me sirvam e eu possa ser o condutor consciente de minha vida, a confiança no futuro, no meu futuro aumenta, porque sinto que posso comandar, com minha vontade, a carruagem do meu destino. Não será mais um destino incerto, mas forjado com o conhecimento.

Confiar, então no futuro é dar um crédito à minha capacidade de realização e ter fé em mim mesmo e em Deus.

Hoje sei que a causa do que me acontece está nos pensamentos e conhecendo-os, que vivem e procriam em minha casa mental, me dão a pauta de como devo fazer para ser dono de minha vida e poder ser o autor de minha existência.

Em muitos momentos e circunstâncias eu consigo conduzir as minhas atividades por vontade própria e os pensamentos são eficazes auxiliares nessa tarefa e em outras ocasiões, como estou num processo de aprendizado, sou levado por eles que me dominam e prevalece, infelizmente, a vontade deles e não a minha.

Mas nesse constante empenho de ser dono de meus pensamentos e de viver com os melhores e mais elevados, sei que num futuro conseguirei tal façanha e, portanto, não cesso nesse esforço e busco me superar com a luz do conhecimento real transcendente.

Não ser joguete mais dos pensamentos se constitui para mim num ideal e sou convidado a em todas as minhas atividades do dia a dia, ou, pelo menos, em muitas delas a fazer com que esses entes causais sejam os agentes que se submetam a minha vontade e colaborem eficazmente para tornar realidade as minhas aspirações e projetos.

Não quero mais continuar sendo somente espectador, mas autor desse espetáculo que é a minha vida. E, nesse empenho, estimulado pelo conhecimento e orientado pela sensatez, realizo ensaios e experimentos que me despertam, pelos seus resultados edificantes que acontecem, a esperança de que posso viver dias melhores e mais felizes.

Estou aprendendo a conhecer a verdade e a perceber a mentira e me preparar para ser o meu próprio redentor, porque os erros que cometa ou venha a cometer eu é que tenho que repará-los, corrigi-los e arcar com suas consequências e não esperar que outros assumam essa responsabilidade que é somente minha.

Aprendi que o erro tem origem na mente e é nela, em minha mente é que devo evitá-lo, para que não se concretize e me prejudique. A correção do erro nesse momento me permite evitar as suas consequências.

Também confio no futuro porque estou aprendendo que em mim vive um espírito que quer participar de minha vida e nesse empenho sinto que não luto só, nesta existência aqui na terra, posso contar com a presença desse ente de natureza divina, essa partícula da consciência universal, que me faz ter a sensação do eterno.

Os longos momentos de isolamento provocados pelo coronavírus me permitiram fazer essas reflexões e a esperar que o futuro pós pandemia venha a ser promissor, rico em conhecimento e digno de um mundo novo e melhor, diferente da mesmice experimentada antes dessa avassaladora catástrofe que atingiu a humanidade e que a fez rever os seus conceitos e valores tornando-os mais humanos e perduráveis.

***

Para mais publicações do autor, acesse o link: 

https://clubedeautores.com.br/livros/autores/marco-aurelio-bicalho-de-abreu-chagas

Seguir este artigo

Sobre o autor

Marco Aurélio Bicalho de Abreu Chagas

Advogado militante no Foro em Geral e nos Tribunais Superiores com mais de 40 anos de experiência. Assessor Jurídico na Associação Comercial e Empresarial de Minas - ACMinas desde 1980. Sócio Fundador do CUNHA PEREIRA & ABREU CHAGAS - Advogados Associados desde 1976. Consultor Home Office. Tributarista. Autor de vários livros na área. tributária. Conferencista. Professor.


Cursos relacionados

Ateliê da petição inicial: como ter todos os pedidos lidos (e atendidos) pelo juiz

Um pontapé certeiro garante a análise integral pelo julgador

Inscrições gratuitas

Turma: Outubro/2020

Código: 609

Mais detalhes

ADVOGANDO NA CONSTRUÇÃO CIVIL

Método prático para advogar no nicho da CONSTRUÇÃO CIVIL e formar uma carteira de clientes rentáveis

Investimento:

R$ 1.997,00

Turma: Outubro/2020

Código: 610

Mais detalhes

Jornada LGPD - O passo a passo da implementação

Conquiste empresas na sua região advogando com a proteção de dados

Inscrições gratuitas

Turma: Novembro/2020

Código: 612

Mais detalhes

Mais artigos de Marco Aurélio Bicalho de Abreu Chagas

Comentários 0

Você precisa estar logado para comentar neste artigo.

Fazer login ou Cadastre-se