Empregado Doméstico


Por Marcella Pagani em 09/01/2019 | Trabalho | Comentários: 0

alt-text

 

É considerado trabalhador doméstico aquele que presta serviços de natureza contínua e de finalidade não lucrativa à pessoa ou à família, em função do âmbito residencial destas. Dúvidas constantes surgem quanto a essa categoria, em razão da relação empregatícia ser peculiar, já que não é regida pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), mas por lei especial (Lei Complementar nº 150/2015) e pela Constituição da República de 1988.

A Constituição da República de 1988 é responsável por mudanças significativas quanto aos direitos dos trabalhadores domésticos. Assim, o texto constitucional assegurou, inicialmente, a essa categoria o direito ao salário mínimo, à irredutibilidade salarial, ao 13º salário, ao repouso semanal remunerado, às férias + 1/3, à licença maternidade de 120 dias, à licença paternidade, ao aviso prévio, à aposentadoria, bem como sua integração à previdência social.

O Decreto nº 3361 de 10 de fevereiro de 2000, facultou ao empregador a possibilidade de fazer o depósito do FGTS para o empregado doméstico. Vale ressaltar, que se tratava de uma faculdade. A partir da edição da LC 150/2015, o depósito do FGTS do doméstico passou a ser obrigatório, consistindo em duas alíquotas: 8 % e 3,2% sobre o salário. Esta última alíquota é para fins rescisórios, vez que o doméstico, em caso de dispensa imotivada, não tem direito à multa de 40% sobre os depósitos do FGTS, mas sim ao levantamento do valor depositado ao longo do vínculo empregatício traduzido nessa alíquota de 3,2% sobre o salário. Na hipótese de a ruptura do vínculo não for por dispensa imotivada, referido valor voltará para o empregador.

Em 2006, a Lei do doméstico sofreu nova alteração concedendo a essa categoria o direito a férias de 30 dias, garantia provisória no emprego para a empregada gestante e o direito a folga em dia de feriado.

A EC 72/2013 alterou o parágrafo único do art. 7º, da CR/88, ampliando o rol de direitos do doméstico. Dentre os direitos concedidos, destaca-se o direito à jornada máxima de 8 horas e 44 horas/semanais. A regulamentação da jornada do doméstico tornou-se, portanto, um marco para essa categoria de trabalhadores, já que, hoje, o empregador que não observar o limite da jornada deverá pagar ao empregado doméstico as horas extras que deverão ser, de no mínimo, 50% superior ao valor da hora normal.

Em julho de 2015, é editada a Lei Complementar 150 que passou a tutelar de maneira mais criteriosa a relação de emprego do doméstico. Várias alterações nos direitos dessa categoria de empregados surgiram a partir de então.

No tocante à Previdência Social, o empregado doméstico é segurado obrigatório, cujo recolhimento é de 20% do salário, onde 12% é de responsabilidade do empregador e 8% do empregado.

O direito ao vale-transporte também foi estendido a essa categoria de trabalhadores. Como nos demais casos, o custeio será do empregado na parcela equivalente a 6% de seu salário e do empregador, no que exceder a essa parcela.

Questões práticas que muitas vezes se tornam problemas devem ser adotadas pelo empregador, como:

Tomando as devidas precauções, fazendo as anotações necessárias na Carteira de Trabalho e garantindo ao empregado os direitos previstos em lei, o empregador não tem o que temer. 


Seguir este artigo

Sobre o autor

Marcella Pagani

Doutora e Mestre em Direito do Trabalho pela PUC-Minas. Especialista Direito do Trabalho e Previdenciário pela Universidade Gama Filho/RJ. Bacharel em Direito pela PUC-Minas. Advogada militante em Belo Horizonte há mais de 17 anos, com ênfase na área trabalhista, atuante também com o Direito Privado e Empresarial. Professora de Direito do Trabalho e Direito Processual do Trabalho.


Cursos relacionados

NovaAdv - Advocacia Trabalhista

Estudo prático e aplicado na área Trabalhista

Inscrições gratuitas

Ao vivo: 03/11/2020 15:00

Turma: Módulo 02

Código: 603

Mais detalhes

NovaAdv - Advocacia em Direito das Famílias

Estudo prático e aplicado ao Direito das Famílias

Inscrições gratuitas

Ao vivo: 05/11/2020 15:00

Turma: Módulo 02

Código: 606

Mais detalhes

Jornada LGPD - O passo a passo da implementação

Conquiste empresas na sua região advogando com a proteção de dados

Inscrições gratuitas

Turma: Novembro/2020

Código: 612

Mais detalhes

Mais artigos de Marcella Pagani

Comentários 0

Você precisa estar logado para comentar neste artigo.

Fazer login ou Cadastre-se