Responsabilidade Civil dos Profissionais da Saúde

Entenda a negligência, imperícia e imprudência


Por Mariana Costa Reis em 06/01/2021 | Responsabilidade Civil | Comentários: 0

Tags: Direito Médico, Medicina, Responsabilidade Civil.

Responsabilidade Civil dos Profissionais da Saúde


O instituto da responsabilidade civil traz a ideia de obrigação de reparar um dano causado a outra pessoa. O conceito pode ser extraído da própria origem da palavra que, em latim, significa respondere, ou seja, responder a algo, ser responsabilizado por algo – via de regra, por atos danosos.

Na maior parte dos casos, a responsabilidade civil do profissional da saúde é considerada SUBJETIVA.

Isso significa que, se, no exercício da profissão, ele causar um dano ao paciente (seja uma lesão, o agravamento de alguma situação, ou até morte), o profissional é responsabilizado somente se for comprovada a ação/omissão, o dano, o nexo de causalidade e, se ficar demonstrada a sua CULPA.

Em outras palavras, devem ser observados aspectos como: qual foi o ato que causou o dano; o dano, propriamente dito; a legação do dano com o ato (é possível que tal ato tenha, de fato, gerado aquele dano?); e a culpa que se traduz na inobservância do dever de cuidado exigido.

A culpa é caracterizada pela negligência, imperícia e imprudência.

Mas como identificar essas características da culpa?

NEGLIGÊNCIA

Negligência é agir com falta de cuidado e atenção, sem a cautela necessária e com displicência.

É verificada, por exemplo, nos erros de diagnósticos, cirurgias em membros trocados (a operação deveria ter sido realizada no braço direito, mas foi feita no braço esquerdo) ou quando o profissional deixa de avaliar outras possibilidades, sem se atentar para algo que, às vezes, está muito claro.

A negligência é considerada uma omissão danosa.

Na prática, ela pode ser identificada em perícia médica, já que decorre de uma falha que seria facilmente corrigida por cautela do profissional.

IMPERÍCIA

A imperícia é caracterizada pela falta de domínio ou habilitação.

O médico, por lei, está apto a praticar qualquer tipo de ato profissional. Porém, diante das especificações de cada especialidade, é cada vez mais difícil afastar a imperícia daquele profissional que pratica ato específico, sem especialidade registrada.

Ocorre, por exemplo, quando um médico otorrinolaringologista “aproveita” a cirurgia de correção de desvio de septo nasal para realizar uma rinoplastia, sem que seja especialista em cirurgia plástica. Se for verificado algum erro, o profissional pode ser responsabilizado.

Ou seja, a falta de capacitação do profissional pode gerar uma "presunção de culpa."

IMPRUDÊNCIA

A imprudência é determinada quando o profissional ultrapassa os limites. Quando o profissional sabe do risco que está correndo, mas mesmo assim acredita que pode realizar o ato sem prejudicar o paciente.

Ocorre, muitas vezes, em atos simples como transportar o paciente com as grades laterais da maca abaixadas ou realizar cirurgia sem o devido equipamento para um atendimento de urgência, caso seja necessário.

É essencial avaliar cada caso individualmente para verificar se realmente houve erro médico passível de indenização.

Seguir este artigo

Sobre o autor

Mariana Costa Reis

Pós graduanda em Advocacia Consumerista pela EBRADI (previsão de término junho/2021) Especializanda em Direito Médico pelo IPDMS e prof. Me. Osvaldo Simonelli (previsão de término fevereiro/2021) Pós graduada em Direito Médico e Hospitalar pela faculdade Unyleya (2020); Especialista em Direito Tributário pelas Faculdades Milton Campos (turma de 2016); Graduada em Direito pelas Faculdades Milton Campos (turma de 2014). Durante a faculdade trabalhou como estagiária em diversos órgãos públicos como Justiça Federal, TJMG e Advocacia Geral da União, e em diferentes setores, possibilitando uma vasta experiencia. Desde 2015 é advogada atuante no judicial/contencioso e administrativo, especialmente nas áreas de direito médico e da saúde e nas relações de consumo. É idealizadora do instagram @rotinadaadvocacia e administra o site/blog http://marianareisadv.com


Cursos relacionados

ADB PRO 2.0

Método prático para alcançar honorários extraordinários e estabilidade financeira na advocacia

Investimento:

R$ 1.997,00

Turma: ADB PRO 2.0 - Fevereiro/2021

Código: 626

Mais detalhes

ADVOGANDO NA CONSTRUÇÃO CIVIL

Método prático para advogar no nicho da CONSTRUÇÃO CIVIL e formar uma carteira de clientes rentáveis

Investimento:

R$ 1.997,00

Turma: Março/2021

Código: 627

Mais detalhes

Advocacia de resultado na Lei de Drogas

Método prático e aplicado da Lei de Drogas à advocacia

Investimento:

R$ 797,00

Turma: Janeiro/2021

Código: 628

Mais detalhes

Mais artigos de Mariana Costa Reis

Comentários 0

Você precisa estar logado para comentar neste artigo.

Fazer login ou Cadastre-se